terça-feira, 6 de outubro de 2009

My fair lady - A vendedora de flores.

Existe um filme chamado "My fair lady" (de 1964), que tem como atriz principal Audrey Hepburn. O filme é baseado numa peça teatral da Broadway. Resumindo bem mal e porcamente a história, trata-se de um professor, desconfio que de etiqueta, chamado Henry Higgins, faz uma aposta com o Coronel Pickering de que ele (Henry) conseguiria fazer qualquer mulher falar tão bem que ela se passaria por uma duquesa. Uma mulher escuta a conversa dos dois e vai atrás do professor, essa mulher é Eliza Doolittle (a Audrey), uma mulher que vende flores na rua com um sotaque estranho, gírias no modo de falar , quase uma mina-mano da zona leste (brinks, nem tanto). Ela oferece alguns trocados em troca de aulas para que ela possa falar direito e trabalhar numa floricultura, mas o profesor acaba dando as aulas na faixa. Abrindo uma observação aqui, meu professor de literários estava falando esses dias sobre o princípio da segunda natureza (ou complexo de Sinhá Moça, tão meiga que nem parece nascida nesse lugar), que segundo as minhas anotações da aula, trata-se de uma coisa que "apesar de não ser natural, é natural", ou seja, uma coisa que você pensa que é natural mas na verdade não é, são somente convenções. Um exemplo disso é o fato de você usar roupas. Parece natural que você use roupas, mas na verdade não é, tanto que o ser humano nasce pelado. Usamos roupas apenas porque a sociedade e mimimi mimimi convencionou que é assim que deve ser. É o mesmo que acontece na história do filme, a florista é tão treinada para falar bonitinho que parece que já nasceu assim, quando todo mundo sabe do passado mulambento dela.

Pois bem, ditas as informações acima, aposto que algumas pessoas que nunca viram o tal filme mas que assistiam SBT à tarde reconheceram a história. Acontece que Chespirito, o cara que fazia Chapolin e também o Chaves, fez um episódio contando a história deste filme, e foi exibido no SBT e eu me lembro de eu ser uma criança catarrenta e assistir este episódio.
Já disse uma vez e reafirmo: Chaves e Chapolin Colorado são cultura fina.





5 comentários:

Praguejento disse...

Tenho vontade de ver esse filme!

Karol Pereira disse...

Chavez e Chapolin é cultura(2)
adorava! =D

BobZeeLa disse...

Eu tbm tenho vontade de ver esse filme.. eu sempre soube que roberto bolaños eh o cara (e eu digo a versão original, nao da "made in bosque da saúde")

Fels disse...

Mariana vc definitivamente é muito cretina.





HAUAHAUHAUAHAUAHAUAHAUAHAU

cowy disse...

falei que tinha um monte de história legal no chapolin...