sábado, 17 de outubro de 2009

Onírico.

Essa noite eu sonhei que estava cortando as unhas da minha gata. De repente eu estava cagando no banheiro do metrô Guilhermina-Esperança, e quando eu olhava pra privada meu cocô era uma bexigona marrom cheia d'água. Então eu sonhei que estava andando junto com uma menina da faculdade, e o impressionante é que eu nunca troquei uma palavra com ela. Spnhei que a gente estava em algum metrô da linha azul e estávamos indo pra casa dela. Daí, para fazer baldeação e pegar um trem, a gente tinha que pular uma grade de um hotel/motel, só que os funcionários do ambiente não deixavam a gente sair de lá por nada sem ter que pagar a pernoite. Daí a gente pulou a cama e pulou a muretinha enquanto eles se distraiam com alguma bobeira. De repente eu estava em outro quarto de motel/hotel, só que dessa vez com um velho pançudo pelado. Ele dizia que pra eu sair de lá ele tinha que fazer uns testes. Daí ele pegou um coador de café e encapou o bingulinho dele, e o bingulinho dele virou uma daquelas bombas de por gasolina. Daí ele disse pra eu segurar enquanto ele fazia o teste. Daí o velho pançudo foi e comeu a minha mão usando um filtro de café como camisinha. Então ele disse que não deu certo, e começou a procurar alguma coisa debaixo dos sofás que tinha naquele quarto, que foi quando eu me dei conta que este quarto era o quarto avulso que tinha na casa que eu morava na Penha, antes de morar aqui onde eu moro. Daí eu acordei com nojo do velho pançudo, e cortei as unhas da minha gata.

Nenhum comentário: