sexta-feira, 26 de março de 2010

Meu sonho da noite: Erotismo com política.

Sonhei que estava num quarto enorme de motel. O dia estava claro e o sol inundava o ambiente. E eu estava  tendo uma noite carnal com a Sophia Loren que na verdade não era a Sophia Loren, apesar de ser a Sophia Loren. E o meu namorada estava no cantinho do quarto jogando Zelda num gameboy e falava pra mim "se diverte, amor". Achei graça. E eu me diverti. O que eu mais me lembro é que tinham peitos por toda parte (não que ela fosse politetuda, mas a decoração do ambiente era como se tivesse peitos em vez de bexigas). Daí putaria vai, putaria vem, de repente eu estou na porta de uma igreja junto com meu namorado e ele me dá uma DogTag com a foto dele e eu penduro no brinco (???). Então de repente eu vejo que estou dentro da igreja com o Serra sentado ao meu lado. Ele vira e começa a passar a mão nos meus peitinhos e eu falo "pára!" e ele vira pro lado e começa a conversar com meu namorado sobre a gostosura da Sophia Loren. Então o pastor da Igreja começa a falar de um "irmãozinho" da igreja que precisa de ajuda e orações. Aí ele fala que esse "irmãozinho" é o Jagger (finge que o nome dele é esse), e esse tal de Jagger é o irmão da écs #1. O pastor diz pra galere da igreja que ele precisa de oração por ter saído da igreja e virado comunista e começado a falar mal do Serra.

AÍ eu acordei com uma ligação a cobrar no meu celular de um pivete de uns 15 anos de idade perguntando sobre um tal de Ivan que queria ter uma banda.

quarta-feira, 24 de março de 2010

Sonhei com a frase "vendendo banha de lipo pra pasteleiro de feira".


Já pensou se a gordura tirada nas lipos pudesse ser usada para fritar coisas?
Eu ia ficar RICA vendendo gordura.

terça-feira, 23 de março de 2010

Se eu disser que uma mulher quase quebrou a minha coluna com a bunda dela, vocês acreditam?

sábado, 20 de março de 2010

Sonho

Essa noite sonhei com uma coisa no mínimo inusitada:

Um pacote de balas em formato de xoxotinha de gata. Era rosinha e tudo e tava cheio de crianças comendo. E eu tinha um pacote desses na mão e mostrava para a minha gata e falava 'Olha Cãmila, tão vendendo sua xoxota açucarada".

Ai gente.

sexta-feira, 19 de março de 2010

Toda trabalhada no plano onírico.

Essa noite eu sonhei que estava indo lá pro fim do mundo onde o namorado mora. Chegando lá, parecia uma tela do jogo God of War 2. Aí a gente entrou numa sala e lá estavam a écs dele toda morta dormindo no sofá. Saímos e estávamos num lugar que parecia um jardim de infância mas que na verdade era um banco. Daí surgiu uma mulher muito parecida com a Cher e um cara parecido com o tio Jesse daquele seriado Três é demais. Daí a Cher e o Jesse me falaram que seria legal roubar o banco, mas tinha que entrar no cofre e que era só pular o muro florido. Quando eu ví eu estava lá tentado pular o muro florido com o meu sogro me empurrando pra cima. Daí óquei, subi e pulei pra cima do treco que seria o cofre. Olhei em volta e tinha um monte de cachorro no chão me encarando enquanto eu estava lá em cima quase roubando toda a fortuna do lugar. Daí me acovardei porque tinha um buraco lá e pra pegar o dinheiro você tinha que entrar, e lá dentro tinha um cachorro enorme que falava. Daí eu falei pro namorado, que surgiu DO NADA: "não vou entrar nessa porra aqui não" e ele saiu praguejando. Então a Cher e o tio Jesse subiram no telhado, entraram no buraco e eu só ouví o cachorro falando "ninguém põe a mão na minha grana" e o barulho de dois pescoços sendo quebrados e de carne sendo mordida. Aí eu fui falar com meu namorado e ele disse que não me amava mais oorque eu não quis entrar no treco do cachorro.

FIM.


Também sonhei com um cara musculoso e meio negão falando com beicinho que ele adorava uma barba roçando na nuca.
Acordei pensando "não posso esquecer este sonho".

quarta-feira, 3 de março de 2010

Sonhei

Essa noite sonhei que discutia com meu pai. Aí eu botava fogo em todos os livros dele, batia o conversível dele que era muito parecido com o do Arthur (4ª temporada de Dexter - detalhe: meu pai nunca teve um conversível) quebrava todos os vidros do carro dele com um cabo de vassoura, quebrava o MacBook dele (meu pai não tem um MacBook) e destruia a tv de plasma de 42 polegadas dele (que ele também não tem na vida real). E depois eu saia toda feliz por ter destruído tudo que era dele e ia para a av. Paulista tomar sorvete com uma pessoa que está com uma blusa minha. Aí a pesoa pega e é grossa comigo, eu começo a falar um mont de desaforo e falo que se não devolver minha blusa logo eu destruo a vida dela só com um olhar e um taco de beisebol.

Tive uma noite conturbada.