domingo, 16 de maio de 2010

Sonhei que estava na rua 15 de novembro lá na Sé e tinha um monte de gari vestido de amarelo, tudo com cara de negro aço, rindo pra mim, tocando tambor pra mim. Aí eu olhei em volta e estava eu, Fenanda e mais O Vini que de vez em quando virava a Aline. Então a gente entrou na casa de uma mulher lá e todo mundo começou a fumar a beber cerveja. Daí A Fernanda acendeu um cigarro e o cigarro dela era meio vagabundo porque ficou em brasa por inteiro. Quando eu falei "mano, olha o seu cigarro" ela balançou demais a mão falando "que tem ele?" e a brasa voou e pegou num ônibus que ia para o Terminal Santo Amaro que quase explodiu. Daí a gente tava bebendo na festa dessa mulher desconhecida e eu fiquei muito louca. Todo mundo com uma garrafa de vinho do Porto na mão. Fernanda pediu pra eu ir buscar com ela porque ela foi, demorou três horas e quando chegou, deixou cair. Daí eu fui e ela sentou numa cadeira azul estranha e lá ficou. Então eu me retirei do ambiente e voltei pra sala. Todo mundo começou a ficar nu, inclusive eu. No sonho eu era gostosa pra caramba. Daí eu estava de meias azuis, calcinha boxer vermelha, camiseta branca e cabelo estilosamente desgrenhado. Lembro de eu olhar no espelho e estar usando lindos óculos de acrílico azul-roial. Lembro de alguém falando "você fica bem de azul". Então de repente eu estava no meu quarto e a écs #1 começou a falar um monte de sandice sobre a pessoa que ela está namorando, o quanto a pessoa era melhor que eu. Eu mandei enfiar no cu e ela foi embora (desapareceu). Daí do nada aparece minha mãe e diz para eu ir tomar a vacina da gripe com ela, e eu fui só que estava frio e nevando. Eu estava de novo lá pelo centro, só que dessa vez eu estava na galeria Olido. E quando eu cheguei lá estava todo mundo olhando pra mim, me julgando, e eu olhei para baixo. Percebi que estava sem calças. Aliás, eu estava pelada, usando somente uma calcinha vermelha, camiseta e um casacão preto que ia até os joelhos mas que se encontrava aberto. Eu estava de havaianas brancas também. Daí tirei minhas roupas das mochilas e comecei a me vestir, daí percebi que aff, era virada cultural, não ia por roupa porcaria nenhuma. Então tomei a vacina na bunda e de repente estávamos eu, Fernanda, Aline, Namorado e mais um monte de desconhecido como se fosse uma gangue. E só eu e a Aline a pé enquanto o resto da galere estava de bicicleta. Daí a gente invadiu o mercado municipal e começou a correr, correr muito. Estranhamente eu corria com uma perna só e conseguia ultrapassar todo mundo com um sorrisão no rosto. Mais à frente eu alcancei a Aline, que não corria, mas pulava em alta velocidade enquanto grunhia "NHAA NHAA NHAA" com suas pantufas de pata de dinossauro. Ela era muito rápida com aquelas pantufas. Daí o nosso objetivo era chegar num restaurante, e eu estava subindo uma escada rolante correndo mas tnha um japonês velho e gordo com a bunda na minha cara que não me deixava subir. Acordei com uma almofada de zebrinha na cara.

2 comentários:

fels disse...

"calcinha boxer vermelha", assume logo que você estava de cueca no sonho.



hauahauahuahaua



Porque eu sempre estou nesses seus sonhos brisados?

LubaLuba disse...

nerdcast = horar de diversão.
Afonso Tresdê e JP são os melhore sOIAUHOAIUHAOIAUHOAIUHAOIUAH ai ai morro com eles.
odeio muita gente junta tbm (Y)
ná, não me passava por louca. ficava na minha e ria internamente das pessoas. horas de diversão [2]
você toma alguma tipo de chá tipo o Daime antes de dormir né? só pode cara ! nenhum sonho normal HAHAHAHA