quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Essa noite sonhei que uma garota de rua roubava minha carteira e tacava por uma janela no meio da favela do Cangaíba. Eu queria pegar a minha carteira mas sempre me seguravam, e eu berrava para a menina "ME LARGA QUE VÃO ME ROUBAR POR SUA CAUSA! POR QUE VOCÊ FEZ ISSO SUA VACA?". E eu queria bater nela, queria sacudir a cidadã, queria berrar muito na orelha dela mas não podia porque ela estava grávida.

Basicamente é do que eu lembro.

Tenho sonhado muito com roubos.
Considerando a idéia da inexistência de Deus, sucesso e fracasso dependem só de um conjunto de fatores favoráveis ou não? Então se uma situação for muito bem analisada e estudada, e tiver todos os fatores a favor, é sucesso na certa? Ou seria a "sorte" somente uma mãozinha Dele?

Enfim.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Essa noite eu sonhei que eu corria muito à noite. Corria pra ir até a minha antiga dentista. Cheguei lá e ela queria arrancar todos os meus dentes.

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

O monstro do cookie.

Essa noite dormi bem mal. Além de acordar às 3h da manhã com uma intrusa asquerosa e cascuda sendo caçada impiedosamente pela minha heroína felpuda felina. Dei o golpe fatal naquele bicho: uma chapuletada de All Star. Esmaguei a bicha e ainda coloquei uma folha sulfite em cima para não ter que olhar praquilo.
Aí dormi às 4h da manhã e fui acordada às 9h pela minha gata causando com o rato de borracha dela. Sim, ela tem um ratinho de borracha. Aliás, ela tem 2 de borracha, 1 de plástico e 1 de pano.
No que eu consegui dormir de novo até às 10:30, comecei a sonhar que estava brigando furiosamente com meu namorado por algum motivo estranho, mas na verdade ele era eu e eu era ele. Sei que a gente brigou por causa de elevador, por causa de uma maleta de narguile cheia de escovas pra cabelo, por causa de um monte de coisa imbecil. Daí de repente eu sonhei com o Monstro do Cookie. Sonhei que o Monstro do Cookie estava jogado folgadamente igual um gato em cima de um encosto de sofá num ambiente hiper colorido (as cores verde e vermelha se destacavam, parecia o palco do antigo programa da Mara Maravilha) e ele usava um macacão de borracha azul e uma barba azul de borracha por cima da cara peluda e fazia "WOH ROUN ROUN ROUN ROUN" pra mim. Acordei rindo disso porque ele fazia o mesmo som que meu namorado faz quando tá imitando um cara que trabalhava com ele que tinha o queixão pra frente e sendo encantadoramente irritante tentando morder minha cara  no trem lotado.

Enfim.

COOKIE MONSTER!

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Essa noite eu sonhei que estava num ônibus de viagem e nisso entrou uma mulher com os cabelos pretos enroladíssimos e compridos. Tanto ela quanto o cabelo dela estavam armados. Ela começou a assaltar todo mundo. Então puxei assunto com ela, perguntei nome, fiz amizade. Tava lá toda amigona da bandida. E em troca disso ela me deixou ficar com minha carteira e com meu cartão de crédito. Eu disse pra ela "se ficar com você vai ser bloqueado, vai ser inútil, vai dar trabalho e você ainda pode ser presa", então ela liberou e eu fiquei feliz com meu cartão.
Foi isso.

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Bilhete Cu e mais umas coisinhas típicas da minha pessoa.

Nesse feriado eu encontrei Paula e Alinão. Paula tem um monte de caneta permanente super legais. Aí vai que eu, num acesso de pura arte contemporânea, decidi que seria muito divertido desenhar no meu bilhete único.
Olha o que virou:

Até aí tudo bem, né. O bilhete é meu e eu nem tenho cara de bandida malandra que sai falsificando as coisas. Só que hoje eu fui pegar trem lá na estação Grajaú da CPTM e o guardinha olha bem nos meus olhos e diz "me mostra o seu bilhete único". Só pensei: Puta que pariu. Mostrei. O cara olhou, olhou de novo, perguntou o porque eu fiz aquilo e eu "..." daí ele pegou meu RG, viu que a pessoa "vetorizada" da foto era eu e foi perguntar pra um tiozinho que estava lá se isso podia.
Graças a Deus não há nada na legislação que diga que isso é errado e eu pude sair de lá com meu cartão em mãos.

Certo.

Sábado à noite fiz mais uma viagem para além do meu ser. Eu fechava os olhos e estava numa praia e via o sol e o sol não dava um calor gostoso, dava um calor ruim. Um calor azul. Aí eu esticava os braços e sentia o calor azul queimando meus braços. Daí eu percebi que sentir frio e/ou sentir calor é tudo uma questão de costume, convenção e neurônios. Se fosse possível inverter os neurônios, o frio viraria calor e o calor viraria frio, assim como o mar vai virar sertão e o sertão vai virar mar.
Só sei que daí o negócio desandou para o verso de Woman No Cry repetidos até a exaustão.
No woman no cry... Noooooo woman no cry (47x).
Então de repente estava tocando Love Story e acabava com Woman no cry.
De repente estava tocando Unforgiven e acabava com Woman no cry.
De repente tava tocando Stairway to heaven e acabava com Woman no cry.
De repente estava tocando Brasileirinho e acabava com Woman no cry.

Eu juro que não uso drogas, eu uso CARBOIDRATOS.


Ahãm.

domingo, 3 de outubro de 2010

Nesse fim de semana eu era uma pessoa. Cara, eu era uma pessoa. E eu era um coelho. Um coelho de olhos vermelhos e cabelos loirinhos. E eu amava os olhos do vermelho do meu namorado e declarei isso em plena 9 de Julho de madrugada. Então aí sei lá, quando eu vi eu estava rindo muito da Sandy pregada na parede com parafuso e você apertava a barriga dela e ela cagava sabonete líquido. Depois eu estava rindo de um pão morfado em pokémon com um monte de lésbica sentada em cima de um peão do baú, rodando com os braços pro alto e mostrando o sovaco cabeludo.


Nunca dormi tão bem na minha vida.