domingo, 27 de fevereiro de 2011

Essa noite sonhei três coisas.
Sonhei que estava fazendo uma tatuagem no braço. O sonho inteiro foi sobre isso.
O segundo sonho foi que eu morava no CRUSP. Do nada eu tava morando lá. Aí eu arrumava minhas coisas bonitinhas e dava uma voltava, quando eu voltava tinha um casal de amigas deitadas na minha cama e eu ralhava com elas feito uma véia doida resmungona.
Sonho três. Sonhei que a Madonna era pedófila e eu e um bando de crianças tínhamos que prendê-la. A gente entrou num escritório e saiu amarrando todo mundo. Quando conseguimos capturar a Madonna, a gente tinha que amarrar os braços dela com fita adesiva, mas ela sempre se soltava. Então quando finalmente a prendemos, eu estava numa ruma lamacenta que parecia do México esperando um carro do governo enquanto sentava em cima da barriga dela como se ela fosse uma mala de viagem.

Só isso.

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Essa noite sonhei que eu colocava açaí dentro de uma bexiga, mas era um açaí marrom meio esverdeado, parecia merda de nenê, aí eu misturava leite moça e ficava chupando aquela porcaria diretamente de dentro da bexiga.
E a bexiga era transparente igual camisinha.
Só lembro disso.

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Cochieli essa tarde e sonhei com uma única frase:
-FUI CAÇAR MORANGABA.

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Essa noite sonhei que estava em Pernambuco com um monte de gente que eu não conheço e com a Fernanda. Sonhei que estava com vontade de comer tapioca, então fui andando pela rua procurando onde vendia, mas só achei casas onde estavam acontecendo festas, entrou entrei numa festa e roubei uma tapioca de açaí (existe isso?), só que o povo da festa ficou bravo comigo, então eu tinha que fugir, mas como em todo sonho, eu tento correr mas nunca saio do lugar, é desesperador. até que passou uma daquelas pessoas que estavam comigo, eu agarrei nos ombros dela e ela correu mais rápido que um cavalo alazão, e eu fiquei com as pernocas penduradas pra trás quase voando. Aí eu acordei com minha mãe praguejando.

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Essa noite sonhe com mais discussões, mas nem vou comentar a respeito. Depois sonhei que deitava ao lado do meu namorado e dormia, e enquanto dormia dentro do meu sonho, eu comecei a sonhar (INCEPTION, oi). Sonhei que estava num desfile de escolas de samba medieval, mas ninguém tinha fantasia porque tudo tinha pegado fogo. As pessoas só usavam uma tanguinha e corriam como um exército espartano, com lanças e escudos na mão, e conforme eu avançava no meio da galere (o lugar parecia aquela rampona do metrô Guilhermina) as roupas se transformavam em fardas e as lanças em metralhadoras. Aí de repente eu tava no meio de uma feira que na verdade era uma guerra. Continuei andando e de repente eu tava no meio de uma favela do Rio de Janeiro, igualzinha a favela que tem no jogo Call of Duty Modern Warfare 2. Eu estava sozinha e desarmada. Nisso chegou um baita de um negão alto, forte e espadaúdo, gigantão, com uns 2 metros de altura e três só de ombro. Aí ele começou a me arrastar pra um barraco que tinha lá e eu falava pra ele que não queria, que eu estava bem onde estava, e ele dizia "mas eu ficaria melhor naquele colchonete alí". Aí eu falei "olha, eu não vou pra lugar algum", então ele sacou uma pistola prateada tipo a do Dean Winchester, apontou pra minha cabeça e disse "você vai e vai gostar". Olhei profundamente nos olhos dele e disse "posso fazer uma pergunta?" e ele "faz" e eu "por que eu?" e ele, com mair voz de cafageste, diz "porque tu é muuuitcho liiinda". Achei ridícula a cena e acordei, e fui direto postar no meu blog, comecei a escrever e o despertador tocou, daí eu acordei de verdade e cá estou escrevendo de verdade no meu blog.


Ou não.

Dá pra enlouquecer um pouco pensando nessas coisas.

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Essa noite sonhei que eu etsva junto com aquela mina que canta I whip my hair back and forth e a gente estava combinando onde ia enterrar os pedaços do Will smith, pois tinhamos matado ele e cortado ele em pedaço.
Só lembro disso.

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Essa manhã eu sonhei uma coisa muito nadavê. Sonhei que eu estava na casa que eu morava na Penha e a écs #1 estava lá. Aí eu morava ao lado de um mercado e a gente ia lá comer pão com azeitona de graça. No que a gente voltava pra minha casa já estava de noite e ela tinha que dormir lá, daí ela tomava banho e aparecia trajando uma única toalha (parecia uma toga). Enquanto isso meu irmão e meu primo discutiam sobre um carro que teria pertencido ao nosso bisavô, era um carrão antigo muito bonito. Aí do nada a gente aparece dentro de um carro, minha mãe dirigia e no banco de tráz estava eu, a écs #1 e o meu namorado de agora. E ele me olhava com raiva pensando que eu tinha feito alguma coisa com ela, mesmo que eu jurasse de pés juntos que eu não tinha nem apertado as mãos dela quando cumprimentei. Aí nós três começamos a discutir, baixaria atrás de baixaria, quando minha mãe me aparece no banco do passageiro falando um monte de sandice e eu pergunto "mãe, quem tá dirigindo?" e ela responde "a sua tia". No que eu olhei pro banco do motorista tinha uma anã negra dirigindo o carro. Eu não tenho nenhuma tia que seja anã e negra.

Aí eu acordei com a frase "meu salário é a metade" na cabeça.

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

MONSTRO DO ALMOÇO

Hoje Fernananda me ligou e disse que estava no Bob's com o Praguejento, disse para eu passar lá para amá-los. Peguei e fui, e voltei pra casa de ônibus com o Praguejento. No percurso, mostrei meus cadernos de desenho pra ele (ele é meu "mestre' de desenho, acho que a pessoa que eu mais admiro e que eu mais tento ser igual) e ele gostou de um desenho em particular, disse até para eu scannear.
Pois o fiz.

Apresento-lhes O MONSTRO DO ALMOÇO.

Essa é minha chefe, na minha visão.

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Olha só que engraçado (não). Eu odeio a minha chefe, chamo ela de Bruaca na internet inteira, aí ela me aparece aqui com milhares de garrafinhas de coca-zero e enche a geladeira deste lugar de refrigerante, atiçando muito a minha gordice e me fazendo amá-la eternamente (até ela fazer algo contra mim de novo). Aí eu fui lá toda gorda pegar uma coca-cola pra degustar com o chocolate delicioso que meu namorado prestativo e carinhoso me deu, quando a porta da geladeira simplesmente cai e fica na minha mão e eu fico lá, com maior cara de bunda, a porta do bagulho na mão sem saber o que fazer.
Fui e encaixe de qualquer jeito. Se me perguntarem, não vi nada. Não ví coca-cola, não ví chocolate, não vpi geladeira se desfazendo. Nadinha.
Essa noite sonhei que eu estava num show do Skank lotadíssimo de gente. Aí de repente a marquise de lá caiu em cima da metade da galere. Por algum motivo a gente tinha que chamar a Marta Suplicy pra ela ir lá ver o que aconteceu. O show continuou normalmente com metade da galere soterrada e morta debaixo dos escombros.
Não lembro muitos detalhes.

Sonhei com uma mulher bem gorda me falando " vai ser menos boom boom boom e mais pow pow pow".

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Essa noite sonhei que estava, por algum motivo, no trote da USP e que ao mesmo tempo era meu último dia lá. Sonhei que estava com maior clima de nostalgia e eu me despedia de um monte de gente que era tudo meu amigo, todo mundo chorando, se abraçando, mimimi mimimi. Na verdade eu acho que eu nem conhecia tanta gente de verdade. Na verdade, eu nem gostava muito das pessoas de lá. Sonhei que falava pra galere que eu ia voltar pra lá em outro curso e mimimi mimimi. Sonhei que estava pichando uns bixos. Sonhei com um monte de gente que não existe. E sonhei que estava empurrando a cadeira de rodas de uma amiga que, na verdade, era eu mesma (isso eu sonhei por causa do Supernatural, certeza). Sonhei que estava com saudades de lá. Saudades. Não minto, eu amava a USP. amava aquele lugar, mas aquele curso fazia eu sentir que todo dia minha alma morria um pouquinho.
Sonhei que a Fernanda estava lá também. E sonhei que na saída de lá, quando eu estava indo embora, eu achava uma aliança com aspecto de velha e dentro tinha uns nomes estranhos e a data 09/04/2006  marcada lá dentro.

O mais estranhos é que as pessoas que eu abraçava e chorava e dizia que ia sentir falta, na verdade eu nunca vi na vida.
A parte curiosa é que a USP dos meus sonhos era formada por várias partes de lugares que eu já sonhei outras vezes, e eu andei por ela inteira no sonho.
Enfim, quase que eu acordei com aquela tristeza e arrependimento de ter largado aquele lugar, mas com certeza é meu subconsciente tentando me sabotar depois de ouvir de um monte de gente diferenrte que é um ABSURDO eu ter largado uma USP da vida.

É isso.

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Essa noite sonhei com guerra. Deve ter sido porque a última coisa que eu vi acordada foi meu namorado jogando Caal of Duty. Sonhei que estava eu, Fernanda, Audrey (nem a conheço pessoalmente) e acho que a Aline em um campo de batalha que na verdade parecia um shopping, e as granadas eram bexigas cheias de farinha. Então a gente tinha que correr pra defender uma loja de sapatos, e no que a gente corria, minha visão ficava embaçada e cheia de gotas de sangue igual o do jogo.

O telefone tocou e eu acordei.

Tenho sonhado muito pouco.

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

"Talvez ela não seja gorda e sim vicking".