quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Sabe.
Acho que não sei lidar muito bem com perdas.
Tenho sonhado muito com meu avô ainda, e às vezes eu esqueço de que essa saudade toda só tende a aumentar porque não tenho como matar a saudade dele.
Esses dias aconteceu de novo. Passou um carro por mim igualzinho o que ele tinha. Eu pensei comigo "será que é o nonno?". aí eu lembrei que não. Não era. Não tem como.
Aí que eu fui na casa dele esses dias. O sofá que ele costumava ficar deitado estava vazio. Por dois segundos pensei "acho que ele está no quarto". Não. Não tem como.

Eu sei que faz parte da vida morrer e tal. Mas sei lá, é complicado pra quem fica.

2 comentários:

Larissa Bello disse...

Também sou dessa teoria de que é sempre pior pra quem fica. E dói muito mesmo. Mas, graças ao tempo a dor se transforma dentro da gente e passa a ser algo que não mais nos corrói a alma e sim que nos eleva e purifica.

Manu disse...

sabe, nunca perdi um parente próximo nem tenho assim tanta experiência, mas o que ouço falarem é que o tempo é o melhor remédio e a vida ensina a gente a lidar com a dor.