terça-feira, 20 de dezembro de 2011

De quando eu vi um monte de gente morta.

Hoje eu conheci o laboratório de anatomia da Unicid. Minha namorada me levou lá. Ela me apresentou ao Johnny, um cadáver que tem lá, de cabelos lisos e curtos. Também me apresentou pra um cadáver de uma véia, umas pernas perdidas, uma caixa toráxica de criança e pra um defunto fresquinho que ainda estava no carrinho todo costurado.
Parecia tudo brinquedo. Dava vontade de pegar na mão, mas fiquei com nojo.
Meu sonho é um dia esbofetear alguém com um braço solto desses.

Nenhum comentário: