sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

sabe pai... às vezes eu queria que você prestasse atenção em toda a brevidade da vida e percebesse que invariavelmente você, eu, todos morreremos um dia, e que isso significa um adeus pra sempre. que nunca mais a gente poderá se falar nem se ver e que no máximo a gente vai dividir a mesma sepultura, mas só.
eu queria muito que você aproveitasse que nós dois estamos vivos ainda e que você parasse com essa mania feia que você adquiriu desde junho de fingir que eu não existo, só isso.

sem mais,
sua filha.
aquela que tinha 3 anos quando você viajou pra Itália, ficou um mês longe e toda semana você enviava um cartão postal pra minha mãe ler pra mim, e que hoje tem 22 anos e você ignora.

4 comentários:

Guilherme Malafaia disse...

Estranho isso não é?
A pessoa esta do nosso lado mas simplesmente parece invisivel...
Não tem coisa pior do que ser ignorado.

=/

Manu disse...

Eu te entendo. Amo meu pai, mas eu ignoro ele de volta. Sabe, se ele ligasse pro meu celular, por exemplo, eu ficaria feliz (ele lembrou de mim!), mas eu não teria papo pra falar com ele. A gente se afastou demais. Bom, mas pode ser que um dia voltemos a ser pai e filha, assim como pode ser que você e seu pai voltem a se relacionar.

Paloma disse...

Embora leia seu blog há bastante tempo (e morra de rir ou de raiva junto com você), nunca comento - nunca achei que precisasse interagir de fato.
Me identifiquei muito com esse post, porém. Quando eu era criança, eu e meu pai éramos muito próximos. Ele era daquele jeito clichê para mim: um herói, uma referência. Tinha orgulho da minha companhia (e eu da dele, obviamente!!). Hoje, é como se eu não existisse e isso dói. Principalmente, pelo que você falou: o tempo passa e eu gostaria muito de ter mais memórias felizes dessa pessoa que - eu sei - já me amou muito.
Adorei seu modo de falar sobre isso.

Mariana Bennemann disse...

As últimas memórias boas que tenho do meu pai são:

-Eu pequenininha ouvindo Johnny Rivers com ele
-Eu pequenininha e ele me ensinando que as folhas são os narizes das árvores
-Eu grande, depois de um namoro-fracasso, e meu pai dizendo que se visse o merda do meu ex por perto de casa ele arrancaria a língua e o pinto desse elemento, e enfiaria a língua arrancada no cu do elemento e o pinto na guela do mesmo.