sexta-feira, 29 de setembro de 2017

Kardashians

Noite dessas eu sonhei que estava conversando com a Khloe Kardashian e com sua irmã Kim. No sonho, eu falava pra ela "olha, não querendo plantar a discórdia, mas rolam boatos por aí que você não é filha do Robert não, que seu pai na verdade é outro homem..." e ela "queeeem?" e eu "olha, só estou falando o que eu li, mas parece que estão falando que seu pai é o O. J. Simpson, principalmente porque você tem essa altura de travesti e essa cara muito parecida com a dele". Nisso Kim dava risada e Khloe respondia "é, estou sabendo dessas teorias, mas minha mãe jura que meu pai é mesmo o Robert".
Fim do sonho.

Detalhe: eu não acompanho a vida dessa família, mas vivo sonhando que bato altos papos com eles.

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Morreu, mas passa bem.

Faz uma caralhada de tempo que não passo por aqui, pois é. Eu perdi o hábito de escrever, e também a vontade. Na verdade, a vontade de escrever foi embora faz tempo, bem como a vontade de existir, de falar, de desenhar, de ler, de fazer qualquer coisa além de deitar em berço esplêndido e ficar esperando Deus (ou o Diabo) me levar embora. E tudo começou em 2014.

Em 2014 eu passei por duas perdas familiares muito difíceis para mim, com apenas três meses de diferença entre estas, e a partir daí, as coisas começaram a ir por uma espiral decadente de tristeza, alucinações e vontade de cessar de existir. Não vou entrar em detalhes, apenas digo que foi um período de 2 anos em que eu fiquei muito, muito mal, até resolver procurar ajuda profissional pois já não via nenhum motivo para continuar "aqui".

Eu já não enxergava motivos nenhum para continuar nessa vida bandida. Pra quê estudar? Pra que trabalhar? Pra que levantar da cama, se não fará diferença alguma para o mundo? O mundo todo é podre, esse universo não tem salvação e a melhor coisa que poderia acontecer é a extinção da raça humana logo, a começar por mim. Quando eu não estava triste, eu estava com uma ausência de sentimentos, tipo um enorme vazio impossível de ser preenchido. E claro, um monte de problema  questões particulares e pessoais que não exporei aqui pra meia dúzia de fantasmas e 2 stalkers terem assunto na roda de conversa.

Procurei ajuda psicológica e ajuda psiquiátrica no começo de 2016 porque tava tão feia a situação que eu estava deixando as pessoas mais próximas a mim bem preocupadas. Diagnóstico: depressão e ansiedade.

No começo da terapia foi meio complicado mexer nas feridas, organizar os pensamentos e não querer me jogar na frente do primeiro busão que passasse à mil, mas a terapia e os remedinhos de loucurinha tem me ajudado bastante e a melhora já é visível. Entre um episódio e outro de depressão, estou funcional novamente. Yay.

Enfim, o motivo de eu estar postando tudo isso aqui é apenas pra dizer que estou viva, funcional, medicada, existindo e já não mais desejando a morte, e por isso já me considero uma vencedora de uma batalha difícil, consciente de que existe muita guerra pela frente ainda.

Flw Vlw

Uma foto do dia que eu andei de balão na tentativa de sentir alguma coisa.



sexta-feira, 5 de maio de 2017

Ainda estou viva, para tristeza de alguns e felicidade de pouquíssimos outros.